sábado, 15 de agosto de 2009

-->
O interesse era fazer uma entrevista, botar o figurae pra dialogar. Só que o eixo se deslocou um pouco pro lado do batepapo, com um pé na curiosidade e na vontade de trocar uma idéia. O figurae teve o prazer de conversar com Peridapituba, fotógrafo, mod manager de um dos maiores fóruns de fotografía do Brasil, uma figura extremamente solícita, dedicada ao seu trabalho e criador de imagens belíssimas; dialogar com o Peri é corroborar o que ele diz e mostra há muito tempo em diversos espaços dedicados à discusões sobre a imagem.


Ponte”
peridapituba©

-->
figurae
Olá Peri!
Peridapituba
Fala Júlio!
figurae
Pois então, desde que comecei o figurae tenho interesse em abrir no sentido de assuntar sobre o trabalho do povo, mostrar algo, estabeler diálogos. E vejo você como bem aplicado a esse universo. A dedicação à concepção da imagem, à moderação no Digiforum, é todo um trabalho.
Peridapituba
Cara eu simplesmente adoro fotografar. Penso muito e me comprometo, é o que eu sempre digo lá no DF. Não existe este papo de inspiração 100%. Existe vontade, dedicação, querer.
Tendo parte disto, não lhe digo que é fácil, porque sabemos não ser, mas ajuda, e vamos caminhando. Paciência é parte do ato de fotografar. "Metralhar" o dedo no shutter é muito fácil. Por isto não uso lentes de zoom e só uso lentes fixas e manuais.
figurae
Só focais fixas?
Peridapituba
Só. Uso exclusivamente lentes de rosca m42, todas mecânicas, todas fixas. Não tenho lentes digitais nem lentes com zoom.
figurae
Por que isso?
Peridapituba
Primeiro pela qualidade das imagens. Segundo porque eu acho que a questão compositiva (que na verdade é para mim o principal em minha fotografia) se resolve melhor quando não se usa lentes com zoom. Apesar da autonomia não ser a mesma, lógico, o 'jogo de cintura', o traquejo vem de saber como aproveitar as oportunidades e ter criatividade suficiente para se adaptar ao momento. Lentes fixas me promovem isto. Me colocam dentro dos "problemas". E eu gosto de resolvê-los. Além de gostar de foco manual, de todo o processo "antigo" da fotografia.
figurae
Te obrigam a deslocar-se também, ter um envolvimento corporal mais dedicado.
Peridapituba
Exato. Na verdade o envolvimento não é apenas corporal. Quando se pega a maneira das fixas este envolvimento passa para o lado consciente do ato de fotografar. Antes de você fotografar a cena já se define na sua cabeça. É assim comigo. Eu sei o que fotografar antes de fotografar, sabe como?
figurae
Imagino, um privilégio.
Peridapituba
É muito legal. Não me vejo fotografando com autofoco, por exemplo. Dias destes eu peguei uma 28-80mm aqui para fazer uma dupla exposição em filme... A 1ª coisa que fiz foi passar a lente para foco manual, foi automático – risos -. Depois me enrolei todo com o zoom... Lógico que tem um "aumento" aí, mas o que digo é que estou tão acostumado que não me faz falta alguma.
figurae
Não pra ser lugar comum, mas o sistema de zonas, esse raciocínio milimetrado, Ansel Adamns, se mistura na prática ou vira referência...? E se não ele exatamente, esse saber fotográfico.
Peridapituba
Nunca fiz isto do Ansel Adamns, nunca o usei como referência, não neste caso. Minha referência, se é que existe (e para citar os clássicos) é o Henri Cartier Bresson. A referência que o Ansel Adamns pode me promover é na sua maneira de explorar os planos em suas fotos. Ele usa isto de forma tão costumaz que parece uma coisa embutida na fotografia que faz. Mas é um jogo pensado.
figurae
Gosto muito em Bresson desse tempo intermediário, essas histórias nas entrelinhas, a narrativa entre picos de tensão.
Peridapituba
O que gosto no Bresson é como ele organiza a sua fotografia. Esta é a minha maior busca, a organização no retângulo. O Bresson, assim vejo, não fotografa cenas, fotografa formas e posições e nisto inclui suas cenas. Se você olha algumas de minhas fotos verá parte disto (sem me comparar ao Bresson, seria um abuso sem tamanho ...). Eu tento organizar ao máximo o que vejo nas cenas que fotografo. Não apenas nas cenas com pessoas, mas nas cenas inanimadas também. Tenho minha lógica. E aplico esta lógica.
figurae
Tem como mostrar alguns exemplos?
-->
Peridapituba
Photobucket
“poe”
Photobucket
-->
-->“cons”

Photobucket
“cavalos”
Photobucket
“véio”

-->
figurae
Gosto de todas, principalmente das duas últimas.
Peridapituba
A última é ótima. Com diagonais muito fortes, pontos como áureos e terços bem explorados, além de uma contextualização sem dúvida alguma da cena.
figurae
Pra falar a verdade, pra mim é muito forte o aspecto de documento.
peridapituba
Sim. Mas o aspecto documentação ganha mais força quando os elementos estão em alguns locais. É isso que muita gente não entende.
figurae
Desenvolvi o hábito de não tratar o referente como ponto principal. Porque está essa questão da imagem como janela para algo. Costumo ver a foto do ponto de vista da sua formacão. Isso sem esquecer que para a maioria das pessoas uma foto é uma prova concreta de algo.
Peridapituba
Porque em determinados momentos a foto é o que mostra, e apenas isto. Não há como ir além. Olha essa foto:

Photobucket
-->Vai te dar margem à várias interpretações. Desde um simples trio de refletores até aspectos subjetivamente mais profundos. Agora, esta:

Photobucket
-->
É um cavalo apenas, fotografado contra uma cadeia de nuvens numa bonita luz de fim de tarde.
figurae
Tem toda uma conformação da imagem, olhá-la só como documento é me fazer ignorar o autor. Tudo bem, alguém tirou a foto. Mas interessa essa escolha do sujeito. Quando se vê uma imagem, que se não diz muito, ou não apresenta questionamentos, igualmente segue a orientação de alguém.
Peridapituba
Lógico. As coisas não estão jogadas, foram dispostas. É onde eu falei com você de minha busca por organizar os elementos. Sob o ponto de vista de mensagem ela não me traz desafios. Sob o ponto de vista compositivo vê-se as escolhas.
figurae
E o porque dessas escolhas. Essa lente, posicionamento e etc. A foto não se encerra em si mesma. Tem um carinho e um cuidado que te levam a outro lugar, e umas quantas coisas se tornam meio que a própria escrita.
Peridapituba
Exatamente. Escolhas.
figurae
Anteriormente, quando voce falou de Cartier, tocou no tema da composição. Aproveito a deixa pra entrar mais na sua produção. Acho interessantissimo como se apropriam das suas imagens, principalmente no DF, a resposta dos espectadores de seu trabalho. E há uma certa unanimidade coerente com o seu discurso icônico, as fotos, e teórico, sua conceituação.
Peridapituba
Gosto muito do DF, de interagir com o pessoal de lá, de ver as fotos. E o legal é que a gente vai vendo quem se desenvolve e como se desenvolve. É um barato isto, este desenvolvimento alheio também me leva à frente. Em fotografia, nem em 30 segundos existe algo igual. Não há fórmulas. E esta tentativa de se nomear, rotular, acaba estragando o avanço. Porque prende, amarra.
figurae
E nao tem como dizer que não, mas o DF botou varios tijolos na formação de muita gente ali.
Peridapituba
O DF tem um poder incrível de mudar conceitos, não parece, porque só se precebe isto com o passar do tempo. Mas ele promove um amadurecimento plural em quem o frequenta com regularidade. Faz isto com todos nós, é plural para todos.
figurae
Muito interessante a seção “Foto Crítica”. Tem uma coisa na crítica, uma exposição velada, algo de vaidade, vontade de manifestar-se. O que fica dificil ali, depois de certo tempo, é desvincular o autor da obra.
Peridapituba
Mas isto é normal. Acontece porque vamos tomando contato diário com as obras e com seus autores, aí conseguimos vincular. Acontece fora também. O FC é um embiente legal, gosto tb, e o bom é que lá não existe a competição que existe nas Duelos, por exemplo. No FC as pessoas são mais abertas a opiniões.
figurae
Por isso fico voltando a esse tema da foto por trás dela mesma. O quanto influencia. O autor virando parte da obra. A associação imagem-título... E às vezes basta um título totalmente inesperado para quebrar essa relação direta.
Peridapituba
É outro ponto complicado este. É a questão do "rotular". As pessoas pensam que rotulando resolvem de vez o problema. Ledo engano.
figurae
Onde é que dá pra ver mais de suas fotos? Tem alguma coisa pra sair?
Peridapituba
Tem no meu Multiply. E além disto agora estou fazendo um projetinho só com Dupla Exposição. Um rolinho de filme só com DE. Já fiz 15 intervenções, faltam 21. 15 que na verdade são 30.
figurae
Quando vai ao ar ?
Peridapituba
Acho que dentro de 15-20 dias no máximo. Mas não sei se num álbum único ou em postagens simples. O tempo deu uma piorada aqui, o que abortou algumas fotos previstas.
figurae
Estou aqui olhando a foto com o trator.
Peridapituba
O trator é pitoresco de uma praia aqui perto, tira barcos de pesca do mar.

*

Photobucket

--> -->
Cruz, ponto áureo, terços, etc, são apenas pontos referenciais que a gente pode usar, e deve, para reforçar uma mensagem qualquer.
No caso de uma foto em que há pouco a se mostrar em termos de assunto, usamos eles, e o ponto áureo é um dos mais fortes, sem dúvida.
Mas idependente disto, em algumas vezes há espaço para jogar com tudo.
E quando há este espaço, joguemos com ele então. O que vale mais numa ordenação visual é tentar fazer com que quem veja a foto percorra-a totalmente, este é o jogo maior.
peridapituba

Pra ver mais:
www.peridapituba.multiply.com
www.flickr.com/photos/peridapituba
[todas as imagens publicadas nessa postagem são de propriedade de peridapituba e seu uso nessa entrada, assim como diálogo, foram previamente autorizados pelo autor.]

4 comentários:

demerval dijo...

Júlio, obrigado pela oportunidade.
Como você mesmo disse, foi um bate papo informal que tivemos, e foi ótimo.
Ambos extraímos muita coisa boa e pudemos reforçar ainda mais o respeito e zelo que temos um pelo outro
Sucesso no Blog, na vida e na caminhada.
Um fraternal abraço.
Peri.

figurae dijo...

Eu que agradeço. Poder abrir o blog dessa maneira, fazer o figurae dialogar com criadores de imagens, pra mim é um privilégio poder contar com sua participação por aqui.
Igualmente sucesso com tudo, mais uma vez muito obrigado e até a próxima.
inté!
j.paiva

demerval dijo...

Julio, relendo nosso papo me lembrei de algo quando você fala em referências.
Gostaria de deixar um link para uma página de uma pessoa que me trás algumas delas.
Ivan de Almeida.
Abraços.
Peri.

123rawfotos dijo...

Peri;
Li sua entrevista, gostei demais, porque você explica bem sua maneira de fazer, e sua explicação corresponde a esta maneira. Cheguei aqui pelo link no Multiply, mas você devia ter me dito que dera essa entrevista, pois, quando soube que existia, corri para vê-la.
Obrigado pelo link à minha página Multiply nesses comentários.